fbpx

Evitando o golpe do falso seqüestro

Evitando o golpe do falso seqüestro:

Com a popularização dos aparelhos celulares, se criou mais um novo tipo de crime, o “golpe do seqüestro”. Golpe este onde bandidos ligam para pessoas e tentam por meio de pressão psicológica conseguir dinheiro fácil, alegando que um amigo ou ente querido esta seqüestrado ou acidentado, e pede dinheiro, créditos de celulares pré-pagos em troca de sua libertação ou de informações.

• Não ajude o bandido dando-lhe informações – Sua filha sofreu um acidente. – A Fernanda? O que aconteceu com a Fernanda? O nervosismo faz com que muita gente, sem perceber, acabe passando aos bandidos informações que serão usadas para pressioná-las. Em nenhuma hipótese revele nomes de parentes a desconhecidos ao telefone.

• Tire os adesivos do carro – Adesivos com o nome da academia de ginástica ou da faculdade, assim como placas que reproduzem o apelido dos motoristas (BIA, LEO etc.) e páginas no Orkut são preciosas fontes de informação para os bandidos. Evite e peça aos seus filhos para evitar.

• Pare para raciocinar – O pânico diante da possibilidade de um parente estar acidentado ou seqüestrado faz com que muitas pessoas deixem de tomar atitudes óbvias, como checar se a informação é verdadeira. Segundo a polícia, freqüentemente as vítimas deixam de ligar para o suposto seqüestrado não porque são impedidas de fazê-lo, mas porque a idéia não lhes ocorre.

• Desobedeça ao bandido – Ligue para o suposto seqüestrado ainda que o bandido diga para não fazê-lo. Se conseguir contato, o caso está resolvido. Se não, tente um amigo ou parente dele. A hipótese de um seqüestrador real fazer essa ameaça é remota – bandidos não vão matar a vítima, e perder seu trunfo, só porque o celular dela tocou.

• Desconfie de ligações longas – Segundo estatísticas da polícia, 90% dos primeiros contatos telefônicos feitos por seqüestradores reais duram menos de um minuto. Por temerem ser rastreados, eles nunca fazem ligações longas.

• Duvide do choro das vítimas – Apelos chorosos de supostos seqüestrados têm sido usados com freqüência pelos golpistas. A polícia sabe que raramente seqüestradores de verdade telefonam do mesmo lugar em que está a vítima. Sabem que podem ser rastreados e ter o cativeiro descoberto.

• Dê queixa na polícia – Se você cair no golpe, não deixe de prestar queixa na polícia. De posse de informações como o número de origem da chamada criminosa ou o número da conta em que o “resgate” foi depositado, a polícia pode identificar o criminoso e evitar que mais pessoas sejam vítimas dele.